reunião

Por: Núbia Pereira

Durante visita realizada na tarde de terça-feira, 12, à deputada estadual Joana Darc (PR), o Controlador-Geral do Estado, Alessandro Moreira, aproveitou para apresentar o Plano de Trabalho com as tarefas a serem implementadas, pela Controladoria, ao longo dos quatro anos do atual governo.

Para Alessandro Moreira, a proposta é garantir a efetividade das políticas públicas; Estimular a capacidade de inovação do Governo; Melhorar a produtividades e a qualidade dos serviços públicos e do gasto público e Garantir a transparência, o acesso à informação e o controle social das ações do governo.

Entre as ações constam: a realização do curso Permanente de Formação de Profissionais do Sistema de Controle Interno, em parceria com o Tribunal de Contas do Estado; Concurso Público para provimento do cargo a ser criado da carreira de controle interno; Desenvolver o Sistema Controlar; Desenvolver o novo Portal de Transparência do Amazonas; Implantar o sistema de monitoramento dos dados abertos, de acompanhamento dos pedidos de acesso à informação e de avaliação da Ouvidoria, enfatizando a agilidade no atendimento; Elaborar a Carta de Serviços ao Cidadão; Elaborar Projeto de Lei que regulamenta o Sistema de Controle Interno e a Política de Compliance da Administração Direta, Autarquia e Fundacional; Implementar Comitê de Transparência; Comitê de Prevenção e Combate à Corrupção; Comissão Geral de ética do Amazonas, entre outros.

As ações para 2019, foram planejadas conforme orçamento da CGE para o exercício. Para os demais anos, o custo do Plano de Trabalho constará do PPA 2020 a 2023, com destaque para a realização do concurso público para provimento do cargo efetivo de Auditor de Controle Interno. “Serão inicialmente providas 20 vagas com um aumento de R$ 2,5 Milhões/ano na Folha de Pagamento da CGE”, garantiu o controlador-geral, Alessandro Moreira.

A deputada elogiou o trabalho do Controlador-Geral e parabenizou pelo desempenho nas ações desenvolvidas. “É muito importante esse tipo de diálogo, porque a Assembleia Legislativa tem o poder de direcionamento de recursos e adequações nas leis, então entendemos que as parcerias são fundamentais”, ratificou.